Análise envoltória de dados para avaliação da eficiência da pós-graduação na Amazônia Legal brasileira

Waldecy Rodrigues

Resumo


A oferta de cursos de pós-graduação cresceu bastante na região da Amazônia Legal brasileira – saiu de 2,7%, em 2000, para 7,4%, em 2015, do total dos cursos oferecidos no Brasil. Este artigo objetiva analisar a eficiência da pós-graduação na Amazônia Legal brasileira, indicando os casos de sucesso e as estratégias que as demais instituições devem adotar para alcançar um sistema de excelência nos padrões regionais. Por meio da aplicação da análise envoltória de dados (DEA) com retornos constantes de escala (CCR) e com o uso do Stepwise exaustivo completo, a Universidade Federal do Pará foi considerada como a única benchmark, ou seja, instituição referência para as demais, no que se relaciona à eficiência do sistema de pós-graduação. Para que este cresça na região, é fundamental um ambiente institucional que estimule pesquisas ligadas às demandas regionais e produção de artigos em periódicos científicos de alto impacto.


Palavras-chave


DEA. Universidades. Região Norte do Brasil.

Texto completo:

PDF

Referências


ANGULO-MEZA, L. et al. ISYDS – Integrated System for Decision Support (SIAD – Sistema Integrado de Apoio à Decisão): a software package for data envelopment analysis model. Pesquisa Operacional, v. 25, (3), p. 493-503, 2005.

ANGULO-MEZA, L. et al. Avaliação do Ensino nos Cursos de Pós-graduação em Engenharia: um enfoque quantitativo de avaliação em conjunto. Engevista, Niterói, v. 5, n. 9, p. 41-49, 2003.

BORBA, J. T. Uma metodologia DEA para avaliar a eficiência técnica do ensino de programas de pós-graduação: uma aplicação aos programas das Engenharias III da CAPES. 2011. 147 f. Tese (Doutorado em Engenharia de Produção) – Universidade Federal de Santa Catarina, Florianópolis, 2011.

CHARNES, A.; COOPER, W. W.; RHODES, E. Measuring the efficiency of decision making units. European Journal of Operational Research, Amsterdam, v. 2, n. 6, p. 429-444, 1978.

CONSELHO NACIONAL DE DESENVOLVIMENTO CIENTÍFICO E TECNOLÓGICO. Dados abertos. [Online] Disponível na internet via WWW URL: . Acesso em: 25 ago. 2017.

COORDENAÇÃO DE APERFEIÇOAMENTO DE PESSOAL DE NÍVEL SUPERIOR. Geocapes: dados georreferenciados da pós-graduação brasileira. Brasília: Capes, 2016.

CUNHA, H. F. A.; CUNHA, A. C.; SILVA, J. M. C. A pós-graduação stricto sensu em Biodiversidade Tropical no Amapá: uma experiência em construção. Revista Brasileira de Pós-Graduação, Brasília, v. 10, n. 19, p. 213-237, 2013.

FARREL, M. J. The measurement of productive efficiency. Journal of the Royal Statistical Society, London, v. 120, n. 3, p. 253-290, 1957.

FERNANDES, C. F. C. et al. A contribuição da Fundação Oswaldo Cruz para o ensino de pós-graduação na Amazônia Legal: experiências nos estados de Amazonas e Rondônia. Revista Brasileira de Pós-Graduação, Brasília, v. 11, n. 23, p. 299-324, 2014.

FERREIRA, C. M. C.; GOMES, A. P. Introdução à análise envoltória de dados: teoria, modelos e aplicações. Viçosa: UFV, 2009.

FIALDINI JÚNIOR, A. Empreender com estratégia. In: ACADEMIA BRASILEIRA DE CIÊNCIAS. Amazônia: desafio brasileiro do século XXI. São Paulo: Fundação Conrado Wessel, 2008.

GOMES, A. P.; BAPTISTA, A. J. S. Análise envoltória de dados: conceitos e modelos básicos. In: SANTOS, M. L.; VIEIRA, W. C. Métodos quantitativos em economia. Viçosa: UFV, 2004.

INSTITUTO NACIONAL DE ESTUDOS E PESQUISAS EDUCACIONAIS ANÍSIO TEIXEIRA. Censo da Educação Superior 2015. Brasília: MEC, 2016.

LINS, M. P. E.; MEZA, L. A. Análise envoltória de dados e perspectivas de integração no ambiente de apoio à decisão. Rio de Janeiro: COPPE/UFRJ, 2000.

LINS, M. P. E.; ALMEIDA, B. F.; BARTHOLO JUNIOR, R. Avaliação de desempenho na pós-graduação utilizando a análise envoltória de dados: o caso da Engenharia de Produção. Revista Brasileira de Pós-Graduação, Brasília, v. 1, n. 1, p. 41-56, 2004.

MELLO, J. C. C. B. S. et al. Uma análise da qualidade e da produtividade de programas de pós-graduação em Engenharia. Ensaio: Avaliação e Políticas Públicas em Educação, Rio de Janeiro, v. 11, n. 39, p. 167-179, 2003.

MOREIRA, N. P. et al. Eficiência e qualidade dos programas de pós-graduação das instituições federais de ensino superior usuárias do Programa de Fomento à Pós-Graduação (Prof). Ensaio: Avaliação e Políticas Públicas em educação, Rio de Janeiro, v.18, n. 67, p. 365-388, 2010.

NONATO, J. M. D.; PEREIRA, N. M. Histórico da ciência na região Norte do Brasil: a ciência em ação na Amazônia brasileira. Perspectivas, São Paulo, v. 44, p. 93-124, 2013.

OLIVEIRA, I. A.; SANTOS, T. R. L. S.; FRANÇA, M. P. S. G. S. A. A pesquisa no Programa de Pós-Graduação em Educação da Universidade do Estado do Pará. Revista Brasileira de Pós-Graduação, Brasília, v. 11, n. 23, p. 247-270, 2014.

OLIVEIRA, R. B.; OLIVEIRA FILHO, E. C.; BENTES, A. N. A elevação da qualidade da pós-graduação: uma proposta da Universidade Federal do Amazonas. Revista Brasileira de Pós-Graduação, Brasília, v. 11, n. 23, p. 107-126, 2014.

PORTO, J. L. R.; CALDAS, Y. P.; LOMBA, R. M. Pós-graduação em desenvolvimento regional no estado do Amapá: o caso do Mestrado em Desenvolvimento Regional da Universidade Federal do Amapá. Revista Brasileira de Pós-Graduação, Brasília, v. 11, n. 23, p. 49-73, 2014.

RANKING Universitário Folha 2016 (RUF). Folha de São Paulo, São Paulo, 2016. Disponível em: . Acesso em: 22 ago. 2017.

RODRIGUES, R. O. Pós-graduação na Amazônia: o desafio de formar (em) redes. Revista Brasileira de Pós-Graduação, Brasília, v. 11, n. 23, p. 19-45, 2014.

RODRIGUES, W.; RODRIGUES E. Análise da ambiência institucional de ciência, tecnologia e inovação (C, T&I) na Amazônia Legal. Amazônia: Ciência & Desenvolvimento, Belém, v. 9, n. 17, 2013.

SENRA, L. F. A. C. et al. Estudo sobre métodos de seleção de variáveis em DEA. Pesquisa Operacional, Rio de Janeiro, v. 27, n. 2, p. 191-207, 2007.




DOI: http://dx.doi.org/10.21713/2358-2332.2017.v14.1331