Interdisciplinaridade no Programa de Pós-Graduação em Ciências Ambientais do Instituto de Ciência e Tecnologia de Sorocaba – Unesp: experiências de gestão

Leonardo Fernandes Fraceto, Gerson Araujo de Medeiros

Resumo


A área de Ciências Ambientais é recente e emergente na pós-graduação brasileira e sua complexidade realça a importância do enfoque interdisciplinar nas dimensões do ensino, da pesquisa e da extensão. Este trabalho apresenta um relato sobre as experiências de gestão acadêmica promotora da interdisciplinaridade no Programa de Pós-Graduação em Ciências Ambientais (PPGCA) do Instituto de Ciência e Tecnologia de Sorocaba da Universidade Estadual Paulista “Júlio de Mesquita Filho”. Fez-se um levantamento dos efeitos das diretrizes de gestão para a promoção da interdisciplinaridade, no seu contexto acadêmico e social, no período de 2013 a 2015. Alguns desdobramentos dessas diretrizes estão consubstanciados nos eventos para a comunidade interna e externa da universidade, voltados para públicos específicos, como membros da academia, habitantes da região de Sorocaba e estudantes do nível médio e fundamental. As atividades inovadoras do ensino adotadas corresponderam à abordagem construtivista, integração das disciplinas e projeto estruturante. As ações de internacionalização do programa, por sua vez, incluíram o estímulo à vinda de professores visitantes de instituições de ensino e pesquisa internacionais, assim como a participação de professores e alunos do programa em atividades de intercâmbio, estágios de docência e pós-doutoramento. Um reflexo dessas ações foi o aumento relativo da produção bibliográfica interdisciplinar dos docentes e discentes em periódicos qualificados, o qual variou de 3,2%, em 2013, a 41,7%, em 2015. Tais resultados demonstram o fortalecimento do PPGCA, baseado em diretrizes para promover a interdisciplinaridade, podendo fundamentar e subsidiar as discussões de outros programas de pós-graduação do país.


Palavras-chave


Gestão Acadêmica. Pós-Graduação. Pesquisa.

Texto completo:

PDF

Referências


BEGUELLI, F. G. S. et al. Uso do índice de estado trófico e análise rápida da comunidade de macroinvertebrados como indicadores da qualidade ambiental das águas na Bacia do Rio Jundiaí-Mirim – SP – BR. Brazilian Journal of Aquatic Science and Technology, Itajaí, v. 19, n. 1, p. 13-22, 2015.

BRESSANE, A.; MEDEIROS, G. A.; RIBEIRO, A. I. et al. Abordagem construtivista integrando o ensino, a pesquisa e a aplicação à realidade: o caso da pós-graduação em Ciências Ambientais da Unesp Sorocaba. Revista Brasileira de Pós-Graduação, Brasília, DF, v. 12, n. 27, p. 251-276, 2015.

BRESSANE, A.; RIBEIRO, A. I.; MEDEIROS, G A. Problematização como estratégia interdisciplinar: uma experiência na pós-graduação em ciências ambientais. In: SOARES, S. R.; MARTINS, E. S.; MIRANDA, D. L. M. Problematização e produção criativa: ressignificando o ensino e a aprendizagem na universidade. 1. ed. Salvador: EdUNEB, 2015. v. 4, p. 39-73.

______. Environmental reclamation as strategy for sustainability. Veredas do Direito, Belo Horizonte, v. 13, n. 27, p. 109-133, 2016.

BRESSANE, A.; ROVEDA, J. A. F.; MARTINS, A. C. G. Statistical analysis of texture in trunk images for biometric identification of tree species. Environmental Monitoring and Assessment, New York, v. 187, n. 4, p. 1-9, 2015.

BRESSANE, A.; ROVEDA, J. A. F.; ROVEDA, S. R. M. M. et al. Aplicação do processo analítico hierárquico na construção de um sistema fuzzy de apoio ao planejamento do uso futuro na recuperação de áreas degradadas: estudo de uma cava mineral na Serra do Japi. Geociências, São Paulo, v. 34, n. 1, p. 88-102, 2015.

COORDENAÇÃO DE APERFEIÇOAMENTO DE PESSOAL DE NÍVEL SUPERIOR. Relatório do 2º Seminário de Acompanhamento dos Programas de Pós-Graduação em Ciências Ambientais. Brasília, DF: Capes, 2013. Disponível em: . Acesso em: 17 fev. 2017

______. Relatório Seminário de Acompanhamento 2015. Brasília, DF: Capes, 2015. Disponível em: . Acesso em: 10 mar. 2017.

______. Documento de área: Ciências Ambientais. Brasília, DF: Capes, 2016. Disponível em: . Acesso em: 17 fev. 2017.

FENGLER, F. H.; MEDEIROS, G. A.; RIBEIRO, A. I. et al. Desenvolvimento da percepção ambiental de alunos de pós-graduação em Ciências Ambientais da Unesp Sorocaba por meio da abordagem construtivista de ensino. Revista Brasileira de Pós-Graduação, Brasília, DF, v. 12, n. 29, p. 805-834, 2016.

FENGLER, F. H.; MORAES, J. F. L.; RIBEIRO, A. I. et al. Qualidade ambiental dos fragmentos florestais na Bacia Hidrográfica do Rio Jundiaí-Mirim entre 1972 e 2013. Revista Brasileira de Engenharia Agrícola e Ambiental, Campina Grande, v. 19, n. 4, p. 402-408, 2015.

FRANÇA, L. V. G. et al. Modelagem Fuzzy aplicada à análise da paisagem: uma proposta para o diagnóstico ambiental participativo. Fronteiras, Anápolis, v. 3, n. 3, p. 124-141, 2014.

HICKS, D. et al. The Leiden Manifesto for research metrics. Nature, London, v. 520, p. 429-431, 2015.

MACHADO, F. H. et al. Environmental impacts of inter-basin water transfer on water quality in the Jundiaí-Mirim river, Southeast Brazil. International Journal of Environmental Impacts, Ashurst, v.1, n.1, p. 80-91, 2018.

MALHEIROS, T. F. et al. Os desafios do tema sustentabilidade no ensino da pós-graduação. Revista Brasileira de Pós-Graduação, Brasília, DF, v. 10, n. 21, p. 537-552, 2013.

MEDEIROS, G. A. et al. Environmental assessment using landscape analysis methodology: the case of the Jundiaí Mirim river basin, Southeast Brazil. WIT Transactions on Ecology and the Environment, Ashurst, v. 203, p. 26-36, 2016.

PENTEADO, C. L. C.; SILVA, S. J.; FONSECA, K. C. D. Humanidades na UFABC: produção do conhecimento interdisciplinar na pós-graduação. Revista Brasileira de Pós-Graduação, Brasília, DF, v. 12, n. 28, p. 475-500, 2015.

PHILIPPI JUNIOR, A.; SILVA NETO, A.J. Interdisciplinaridade em Ciência, Tecnologia & Inovação. São Paulo: Manole, 2011.

PHILIPPI JUNIOR, A. et al. Desenvolvimento sustentável, interdisciplinaridade e Ciências Ambientais. Revista Brasileira de Pós-Graduação, Brasília, DF, v. 10, n. 21, p. 509-533, 2013.

VERMA, I. M. Impact, not impact factor. PNAS, Washington, DC, v.112, n. 26, p.7875-7876, 2015.




DOI: http://dx.doi.org/10.21713/2358-2332.2017.v14.1381