Ciência, sociedade e complexidade: da disciplinarização do conhecimento à emergência de programas de pós-graduação interdisciplinares no Brasil

Gabriel Bandeira Coelho

Resumo


Este artigo objetiva problematizar a emergência da interdisciplinaridade, enquanto ferramenta teórica, epistemológica e metodológica à compreensão de problemas de natureza complexa. Para isso, salienta-se a afinidade entre Ciência e Sociedade, as características do paradigma complexo, bem como o surgimento e a consolidação de programas de pós-graduação interdisciplinares fomentados pela Capes no Brasil, evidenciando, a partir disso, o quanto a lógica interdisciplinar necessita ser detalhadamente estudada pela Sociologia da Ciência e do Conhecimento. Diante disto, o trabalho se divide da seguinte forma: em um primeiro momento, realiza-se um debate sobre a inextrincável relação entre as transformações do conhecimento científico e as mudanças no âmbito social. Por conseguinte, destaca-se a discussão acerca do paradigma complexo, o qual tem se colocado, cada vez mais, como um grande desafio à ciência contemporânea. Aborda-se, também, uma breve contextualização no que diz respeito à “disciplinarização” do conhecimento e como essa “hiperespecialização” tem levado ao transbordamento dos limites disciplinares e, consequentemente, à necessidade da interdisciplinaridade. Por fim, apresenta-se um introdutório contexto sobre o surgimento de programas de pós-graduação interdisciplinares no Brasil e como estes têm crescido e se consolidado no cenário de pesquisa brasileiro.


Palavras-chave


Ciência. Sociedade. Interdisciplinaridade. Complexidade. Pós-Graduação. Sociologia do Conhecimento.

Texto completo:

PDF

Referências


BELL, D. O advento da sociedade pós-industrial: uma tentativa de previsão social. São Paulo: Cultrix, 1977.

BRAUN, E. Caos, fractales y cosas raras. Ciudad de México: Fondo de Cultura Economica, 2003.

CAPRA, F. A teia da vida: uma nova compreensão cientifica dos sistemas vivos. São Paulo: Cultrix, 1996.

______. O ponto de mutação. São Paulo: Círculo do livro, 1972.

CASTELLS, M. A sociedade em rede. São Paulo: Paz e Terra, 1999. (A era da informação: economia, sociedade e cultura, v. 1).

CASTILHOS, C. C. Inovação. In: CATTANI, A. D. Trabalho e tecnologia: dicionário crítico. Porto Alegre: Editora da Universidade, 1997. p. 132-135.

CHALLONER, J. (Ed.) 1001 invenções que mudaram o mundo. Rio de Janeiro: Sextante, 2010.

COELHO, G. B. Capes e o fomento aos Programas de Pós-Graduação Interdisciplinares: um olhar a partir dos Estudos Sociais da Ciência. 2015. 202 f. Dissertação (Mestrado em Sociologia) – Universidade Federal de Pelotas, Pelotas, 2015.

COIMBRA, J. Á. A. Considerações sobre a interdisciplinaridade. In: PHILIPPI JUNIOR, A.; TUCCI, C. E. M.; HOGAN, D. J. Interdisciplinaridade em Ciências Ambientais. São Paulo: Signus, 2000. p. 52-70.

COORDENAÇÃO DE APERFEIÇOAMENTO DE PESSOAL DE NÍVEL SUPERIOR. Documento de Área 2009. Brasília, DF, 2009. Disponível em: . Acesso em: 13 dez. 2013.

______. Documento de Área 2013. Brasília, DF, 2013. Disponível em: . Acesso em: 19 mar. 2014.

CORRÊA, M. B. Tecnologia. In: CATTANI, A. D. Trabalho e tecnologia: dicionário crítico. Porto Alegre: Editora da Universidade, 1997. p. 250-257.

FOUREZ, G. A construção das ciências: introdução à filosofia e a ética das ciências. São Paulo: Editora Unesp, 1995.

GIDDENS, A. A vida em uma sociedade pós-tradicional. In: GIDDENS, A.; LASH, S.; BECK, U. (Org.). Modernização reflexiva: política, tradição e estética na ordem social moderna. São Paulo: Editora Unesp, 1997. p. 73-134.

______. Mundo em descontrole: o que a globalização está fazendo de nós? Rio de Janeiro: Record, 2007.

KRÜGER, K. El concepto de “Sociedad del Conocimiento”. Biblio3W: Revista Bibliográfica de Geografía y Ciencias Sociales, Barcelona, v. 11, n. 683, 2006. Não paginado. Disponível em: . Acesso em: 12 mar. 2014.

KUHN, T. A estrutura das revoluções científicas. São Paulo: Perspectiva, 1996.

KUMAR, K. Da sociedade pós-industrial à pós-moderna: novas teorias sobre o mundo contemporâneo. Rio de Janeiro: Zahar,1997.

LE MOIGNE, J.-L. A inteligência da complexidade. In: PENA-VEGA, A.; ALMEIDA, E. P. (Org.). O pensar complexo: Edgar Morin e a crise da modernidade. Rio de Janeiro: Garamond, 1999. p. 47-88.

LIMA, G. Sociologia na complexidade. In: Sociologias, Porto Alegre, v. 8, n. 15, p. 136-148, 2006.

LORENZ, E. N. A essência do caos. Brasília: Editora UnB, 1996.

MORIN, E. Por uma reforma do pensamento. In: PENA-VEGA, A.; ALMEIDA, E. P (Org.). O pensar complexo: Edgar Morin e a crise da modernidade. Rio de Janeiro: Garamond, 1999. p. 21-34.

NEVES, C.; NEVES, F. O que há de complexo no mundo complexo? Niklas Luhmann e a Teoria dos Sistemas Sociais. Sociologias, Porto Alegre, v. 8, n. 15, p. 182-207, 2006.

NUSSENZVEIG, M. H. Introdução à complexidade. In: ______. Complexidade & Caos. Rio de Janeiro: Editora UFRJ, 2008. p. 9-27.

OLIVEIRA, M. R.; ALMEIDA, J. Programas de Pós-Graduação Interdisciplinares: contexto, contradições e limites do processo de avaliação Capes. Revista Brasileira de Pós-Graduação, Brasília, DF, v. 8, n. 15, p. 37-57, 2011. Disponível em: . Acesso em: 21 mar. 2014.

PENA-VEGA, A.; NASCIMENTO, E. P. Edgar Morin: o pensador de fronteiras. In: PENA-VEGA, A.; ALMEIDA, E. P. (Org.). O pensar complexo: Edgar Morin e a crise da modernidade. Rio de Janeiro: Garamond, 1999. p. 7-20.

PLATAFORMA SUCUPIRA. Cursos recomendados e reconhecidos. Brasília, DF: Capes, 2017. Disponível em: . Acesso em: 22 out. 2017.

POMBO, O. Práticas interdisciplinares. Sociologias, Porto Alegre, v. 8, n. 15, p. 208-249, 2006.

PRIGOGINE, I. O fim das certezas: tempo, caos e as leis da natureza. São Paulo: Unesp, 1996.

RODRIGUES, L. P. Obstáculos epistemológicos e sociológicos à interdisciplinaridade. In: ______. (Org.). Sociedade, conhecimento e interdisciplinaridade: abordagens contemporâneas. Passo Fundo: Universidade de Passo Fundo, 2007. v. 1, p. 19-46.

RUELLE, D. Acaso e caos. São Paulo: Unesp, 1993.

SANTOS, B. S. Um discurso sobre as ciências. Porto: Edições Afrontamento, 2007.

SIQUEIRA, E. Tecnologias que mudam nossa vida. 2. ed. São Paulo: Saraiva, 2008.

WALLERSTEIN, I. Para abrir as ciências sociais. São Paulo: Cortez, 1996.

WIENER, N. Cibernética e sociedade: o uso humano de seres humanos. São Paulo: Cultrix, 1993.




DOI: http://dx.doi.org/10.21713/2358-2332.2017.v14.1455