O DOCENTE EM CURSOS DE DIREITO análise do perfil de formação em uma amostra Norte-Mineira

##plugins.themes.bootstrap3.article.sidebar##

Resumo

O objetivo do presente trabalho é discutir a formação do docente em Direito nos cursos de graduação da região Norte de Minas Gerais, Brasil. A metodologia proposta foi aprovada por Comitê de Ética em Pesquisa local e envolveu pesquisa documental em websites das principais instituições da região e por contato direto para identificar os docentes de Direito, para posteriormente analisar o currículo Lattes de cada um. Os resultados mostraram que 83,9% dos Docentes em cursos de Direito possuem bacharelado em Direito, sendo os demais profissionais de áreas afins. Cerca de 30% dos docentes bacharéis em Direito lecionam em mais de uma instituição, apenas 7% não possui uma Pós-Graduação lato sensu e cerca de 40% não possuem nenhuma formação stricto sensu, sendo baixíssimo o número de doutores (5%). Há diferenças marcantes entre as formações docentes dentre instituições públicas e privadas nessa relação, mostrando maior titulação na rede pública. O quadro geral permite inferir que ainda há necessidade de maior atenção à formação docente específica para a área do Direito, reforçando tanto seus aspectos didáticos e de formação em pesquisa e extensão.

##plugins.themes.bootstrap3.article.main##

Autores
  • Wellem Ribeiro da Silva
  • Claudineia Teixeira Lima
  • Gilmar Ribeiro dos Santos
Biografia
Referências

1. BEHRENS, Marilda Aparecida. Docência universitária: formação ou improvisação? Revista Educação, Santa Maria, v. 36, n. 3, p. 441-454, set./dez. 2011.
2. CENTRO DE GESTÃO E ESTUDOS ESTRATÉGICOS – CGEE. Mestres e doutores 2015 - Estudos da demografia da base técnico-científica brasileira. Brasília, DF : 2016. 348p.
3. CHASSOT, Attico. Alfabetização científica: uma possibilidade para a inclusão social. Rev Bras Educ, Rio de Janeiro , n. 22, p. 89-100, apr. 2003.
4. CONSELHO NACIONAL DE EDUCAÇÃO - CNE. Resolução CNE/CES 9/2004. Diário Oficial da União, Brasília, 1º de outubro de 2004, Seção 1, p. 17. Alterada pela Resolução CNE/CES nº 3, de 14 de julho de 2017. Disponível em: < HTTP://PORTAL.MEC.GOV.BR/CNE/ARQUIVOS/PDF/RCES09_04.PDF>. Acesso em: 01 out 2019.
5. GAMEIRO, Ian Pimentel; GUIMARÃES FILHO, Gilberto. O mapa da pós-graduação em Direito no Brasil:uma análise a partir do método da Social Network Analysis. Rev. Direito GV, vol.13, no.3, São Paulo Sept./Dec. 2017.
6. FREIRE, Paulo. Pedagogia da autonomia: Saberes necessários à prática docente. São Paulo: Paz e terra, 2003.
7. INEP - INSTITUTONACIONAL DE ESTUDOS E PESQUISAS EDUCACIONAIS ANÍSIO TEIXEIRA. Censo da Educação Superior: Notas Estatísticas 2017, 2017a. Disponível em: . Acesso em: 01 de agosto de 2019.
8. _____. Sistema Nacional de Avaliação da Educação Superior – SINAES. Instrumento de avaliação de cursos de graduação presencial e a distância. Censo da Educação Superior: Notas Estatísticas, 2017b. Disponível em:. Acesso em: 1 de agosto de 2019.
9. ISAIA, Silvia Maria de Aguiar e BOLZAN, Doris Pires Vargas. Formação do profesor do Ensino superior: Um proceso que se aprende? Revista do centro de Educação UFSM, 2001, vol.29,2011.
10. NICOLINI, Alexandre Mendes; TORRES, Adriana A. Garcia; MACEDO, Paulo Cesar de Albuquerque; CÃMARA, Evandro de Campos. A correlação entre a quantidade de docentes mestres e doutores e o desempenho dos estudantes no ENADE: a realidade do curso de administração. XIV COLÓQUIO INTERNACIONAL DE GESTÃO NIVERSITÁRIA – CIG, Florianópolis, 2014. Disponível em: . Acesso em: 2 de agosto de 2019.
11. OPNE - OBSERVATÓRIO DO PLANO NACIONAL DA EDUCAÇÃO. Consulta ao portal: http://www.observatoriodopne.org.br/home. Realizada em: 02 de agosto de 2019.
12. PRADO, Edna Cristina do; SANTOS, Clecia Maria dos; PEREIRA JÚNIOR, Antonio Miguel. Pós-graduação stricto sensu em Direito: onde e como se forma o docente dos cursos de graduação. RBPG, v. 12, n. 28, p. 443-470, 2015. Disponível em: . Acesso em: 11 abr. 2016.
13. RIVAS, O ensino jurídico brasileiro e propostas para a melhoria da qualidade do ensino. Jus Navigandi. Disponível em:< https://jus.com.br/artigos/5576/o-ensino-juridico-brasileiro-e-propostas-para-a-melhoria-da-qualidade-do-ensino>. Acesso em: 01 out 2019.
14. STRECK, Lenio. Hermenêutica Jurídica e(m) Crise: Uma Exploração Hermenêutica da Construção do Direito. 10. ed. Porto Alegre: Livraria do Advogado, 2011. p.97
15. VELLOSO, Jaques. Mestres e doutores no país: destinos profissionais e políticas de pós-graduação. Cadernos de Pesquisa, v. 34, n. 123, p. 583-611, set./dez. 2004
16. SAMPAIO, Helena; VELLOSO, Jaques. Mestres e doutores titulados no país em nove áreas: contribuições da formação teórica e em pesquisa. Trabalho apresentado no “GT Educação e Sociedade”, no XXVI Encontro Anual da ANPOCS, Caxambu, outubro de 2002. Disponível em: . Acesso em: 02 de agosto de 2019.
17. ZONATTO, Vinícius Costa da Silva; DALLABONA, Lara Fabiana; MOURA, Geovanne Dias, et al. Evidências da Relação entre Qualificação Docente e Desempenho Acadêmico: uma análise à luz da Teoria do Capital Humano. Sociedade, Contabilidade e Gestão, Rio de Janeiro, v. 8, n. 1, jan/abr 2013.

##plugins.themes.bootstrap3.article.details##


Como Citar

RIBEIRO DA SILVA, W.; TEIXEIRA LIMA, C.; RIBEIRO DOS SANTOS, G. O DOCENTE EM CURSOS DE DIREITO. Revista Brasileira de Pós-Graduação, v. 16, n. 36, p. 1-19, 2 nov. 2020.

Seção

Estudos

Publicado:

Nov 2, 2020
Creative Commons License
This work is licensed under a Creative Commons Attribution-NonCommercial 4.0 International License.

Autores que publicam nesta revista concordam com os seguintes termos:

  • Detêm os direitos autorais sobre a obra e concedem à revista o direito de primeira publicação, com o trabalho simultaneamente licenciado sob a Licença Creative Commons Attribution  que permite o compartilhamento do trabalho com reconhecimento da autoria e publicação inicial nesta revista.
  • Possuem autorização para assumir contratos adicionais separadamente, para distribuição não exclusiva da versão do trabalho publicada nesta revista, com reconhecimento de autoria e de publicação inicial nesta revista.
  • Têm permissão e são estimulados a publicar e distribuir seu trabalho on-line (ex.: em repositórios institucionais ou na sua página pessoal), desde que citada sua publicação inicial nesta revista, uma vez que isso pode gerar alterações.

Além disso, os autores declaram que:

  • Todas as afirmações contidas no manuscrito são fatos, são verdadeiras ou baseadas em pesquisa empírica ou científica.
  • O uso de qualquer marca registrada ou direito autoral dentro do manuscrito foi creditado a seu proprietário ou a permissão para usar o nome foi concedida.