LETRAMENTO INFORMACIONAL E MÍDIAS SOCIAIS UMA EXPERIÊNCIA COM IDOSOS PARA A COMPETÊNCIA INFORMACIONAL NA IDENTIFICAÇÃO DE FAKE NEWS

##plugins.themes.bootstrap3.article.sidebar##

Resumo

Os idosos são considerados imigrantes digitais pois tiveram de aprender a lidar com as tecnologias digitais durante o seu surgimento e por isso são mais vulneráveis frente as fake news. Este artigo trata-se de um relato de experiência realizado com um grupo focal de idosos sobre a criação e realização de um Curso de Extensão de capacitação midiática e informacional que tem como objetivo desenvolver as competências informacionais dos sujeitos afim de evitar a propagação de fake news. Os oito sujeitos participantes possuem a média de idade de 74 anos e previamente já utilizavam ferramentas como Whatsapp e Facebook. Ao finalizar o Curso pode-se constatar melhora na relação informacional, na aplicação das estratégias de busca e nas fontes de informação utilizadas pelo público.

##plugins.themes.bootstrap3.article.main##

Autores
  • Bruno Fortes Luce IFRS
  • Lizandra Brasil Estabel
Biografia
Bruno Fortes Luce, IFRS
Mestrando no Programa de Pós-Graduação de Mestrado Profissional em Informática na Educação do Instituto Federal do Rio Grande do Sul (MPIE/IFRS), Porto Alegre, RS, Brasil. E-mail: brunofluce@gmail.com.
Referências

ALLCOTT, Hunt; GENTZKOW, Matthew. Social Media and Fake News in the 2016 Election. Journal of Economic Perspectives, Pittsburgh, v.31, n.3, p.211- 236, 2017. Disponível em: https://web.stanford.edu/~gentzkow/research/fakenews.pdf. Acesso em: 05 jan. 2020.

BRASIL. Lei nº 10.741, de 1º de outubro de 2003 (Estatuto do Idoso), para garantir aos idosos a oferta de cursos e programas de extensão pelas instituições de educação superior. Brasília: Casa Civil [2017]. Disponível em: http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/_Ato2015-2018/2017/Lei/L13535.htm. Acesso em: 12 jan. 2020.

________. Lei nº 12.965, de 23 de abril de 2014. Estabelece princípios, garantias, direitos e deveres para o uso da Internet no Brasil. Brasília: Casa Civil, [2014]. Disponível em: http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/_ato2011-2014/2014/lei/l12965.htm. Acesso em: 12 jan. 2020.

CAMPELLO, Bernadete. O movimento da competência informacional: uma perspectiva para o letramento informacional. Ci. Inf., Brasília, v. 32, n.3, p.28-37, set./dez.2003.

DE LUCCA, D.M.; VIANNA, W.B.; VITORINO, E. V. A competência em informação de idosos: contribuições da literatura. Brazilian Journal of Information Studies: Research Trends, Marília, v. 12, n.4, p.32-44, 2018. Disponível em: http://www2.marilia.unesp.br/revistas/index.php/bjis/article/view/8151/5545. Acessado em: 10 mar. 2020.

DUDZIAK, Elisabeth Adriana. Information literacy: princípios, filosofia e prática. Ciência da Informação, Brasília, DF, v. 32, n. 1, p. 23-35, jan./abr. 2003. Disponível em:http://www.scielo.br /scielo.php?pid= S0100- 19652003000100003&script=sci_abstract&tlng=pt. Acesso em: 10 mar. 2020.

DUDZIAK, Elisabeth Adriana. Information Literacy e o Papel Educacional das Bibliotecas. 2001. 187 f. Dissertação. (Mestrado em Ciência da Comunicação) – Escola de Comunicações e Artes, Universidade de São Paulo, São Paulo, SP, 2001. Disponível em: . Acesso em: 10 mar. 2020.

FREITAS, Elizabete Viana de; PY, Ligia. Tratado de Geriatria e Gerontologia. 4 ed. Rio de Janeiro: Guanabara Koogan, 2016.

GUESS, Andrew; NAGLER, Johathan; Tucker, Joshua. Less Than you think: prevalence and predictor of fake news dissemination on Facebook. Science Advances, Washington, v. 5, 9 jan. 2019. Disponível em: https://advances.sciencemag.org/content/5/1/eaau4586. Acesso em: 10 mar. 2020.

JUZNIC, P.; BLAZIC, M.; MERCUN, T.; PLESTENJAK, B.; MAJCENOVIC, D. Who says that old dogs cannot learn new tricks? A survey of internet/web usage among seniors. New Library World, Liubliana, v. 107, n. 1226/1227, p. 332-345, 2006. Disponível em: encurtador.com.br/lwzJQ. Acesso em: 12 jan. 2020.

KLÍMOVA, Blanka et al. Enriching Learning Experience-Older Adults and Their Use of the Internet. In: International Conference on Blended Learning. Springer, Cham, 2018. p. 426-437.

MORO, Eliane Lourdes da Silva; ESTABEL, Lizandra Brasil. A Mediação da Leitura na Família, na Escola e na Biblioteca através das Tecnologias de Informação e de Comunicação e a Inclusão Social das Pessoas com Necessidades Especiais. Revista Inclusão Social, Brasília, v. 4, n. 2, p. 67-81, jan.-jun., 2011. Disponível em: . Acesso em 10 mar. 2020.

OLIVEIRA, Rita de Cássia da Silva, SCORTEGAGNA, Paola Andressa, OLIVEIRA, Flávia da Silva. UNIVERSIDADES ABERTAS A TERCEIRA IDADE: delienando um novo espaço educacional para o idoso. Revista HISTEDBR On-line, Campinas, n. 64, p.343-358, 2015.Disponível em: https://periodicos.sbu.unicamp.br/ojs/index.php/histedbr/article/view/8641945/9443. Acesso em: 10 mar. 2020.

PALFREY, John; GASSER, Urs. Nascidos na Era Digital: entendendo a primeira geração de nativos digitais. Tradução Magda Franças Lopes. Porto Alegre: Artmed, 2011.

VIGOTSKY, Lev Semenovich. A Formação Social da Mente: o desenvolvimento dos processos psicológicos superiores. 7 ed. São Paulo: Martins Fontes, 2007.

##plugins.themes.bootstrap3.article.details##


Como Citar

FORTES LUCE, B.; BRASIL ESTABEL, L. LETRAMENTO INFORMACIONAL E MÍDIAS SOCIAIS. Revista Brasileira de Pós-Graduação, v. 16, n. 35, p. 1-14, 24 jun. 2020.

Seção

Experiências

Publicado:

Jun 24, 2020
Palavras-chave:

Letramento Informacional, Idosos, Fake News, Desinformação

Creative Commons License
This work is licensed under a Creative Commons Attribution-NonCommercial 4.0 International License.

Autores que publicam nesta revista concordam com os seguintes termos:

  • Detêm os direitos autorais sobre a obra e concedem à revista o direito de primeira publicação, com o trabalho simultaneamente licenciado sob a Licença Creative Commons Attribution  que permite o compartilhamento do trabalho com reconhecimento da autoria e publicação inicial nesta revista.
  • Possuem autorização para assumir contratos adicionais separadamente, para distribuição não exclusiva da versão do trabalho publicada nesta revista, com reconhecimento de autoria e de publicação inicial nesta revista.
  • Têm permissão e são estimulados a publicar e distribuir seu trabalho on-line (ex.: em repositórios institucionais ou na sua página pessoal), desde que citada sua publicação inicial nesta revista, uma vez que isso pode gerar alterações.

Além disso, os autores declaram que:

  • Todas as afirmações contidas no manuscrito são fatos, são verdadeiras ou baseadas em pesquisa empírica ou científica.
  • O uso de qualquer marca registrada ou direito autoral dentro do manuscrito foi creditado a seu proprietário ou a permissão para usar o nome foi concedida.