COMUNICAÇÃO COMO DISPOSITIVO DE INTERAÇÃO ENTRE ENFERMEIROS: ENCONTROS SOCIOCLÍNICA INSTITUCIONAL NA ESTRATÉGIA SAÚDE DA FAMÍLIA

##plugins.themes.bootstrap3.article.sidebar##

Resumo

O objetivo desse estudo é analisar e discutir a comunicação como dispositivo de interação entre enfermeiros nos encontros Socioclínica Institucional na Estratégia Saúde da Família (ESF) de um município localizado na Região Serrana do Estado do Rio de Janeiro. Os encontros ocorreram no segundo semestre do ano de 2019 o universo do estudo foi composto por 13 enfermeiros, sendo 11 atuantes na ESF, 01 enfermeira pesquisadora e 01 enfermeira analista externo. Emergiram dois eixos temáticos: 1) Interface da comunicação entre o gerenciamento e o cuidado; 2) A comunicação quanto autonomia do enfermeiro frente ao gerenciamento de cuidados. Os dados retratam a reflexão sobre a contribuição da comunicação no processo do gerenciamento de cuidado dos enfermeiros.

##plugins.themes.bootstrap3.article.main##

Autores
Biografia
Adicéa de Souza Ferreira, Universidade Federal Fluminense
Pós- graduada em Enfermagem em Cuidados Intensivos com Ênfase no Cliente Adulto e Idoso pela Escola de Enfermagem Aurora de Afonso Costa- UFF (2014); Especialista em Saúde da Família nos Moldes Residência pela Faculdade de Enfermagem Anna Nery-UFRJ(2017). Especialista em Micropolítica da Gestão e do Trabalho em Saúde do Sistema Único de Saúde, pela Escola de Enfermagem Aurora de Afonso Costa-UFF (2018); Mestranda do Mestrado Profissional em Ensino da Saúde: Docente Interdisciplinar para o SUS -Escola de Enfermagem Aurora de Afonso Costa-UFF; Integrante do Grupo de Pesquisa NUPGES-UFF;Atualmente atuo no Serviço Público da Prefeitura Municipal de Petrópolis/RJ como Apoiadora Institucional; Tenho experiência na área de Enfermagem em Terapia Intensiva(Adulto/Idoso),Enfermagem Pediátrica e Neonatal, Enfermagem em Saúde da Família e Gestão em Saúde Pública.
Ana Lúcia Abrahão , Universidade Federal Fluminense
Professora Titular da Universidade Federal Fluminense, Escola de Enfermagem. Pós Doutora vinculada ao quadro Permanente do Programa de Ciências do Cuidado em Saúde (UFF) e do Mestrado Profissional de Ensino em Saúde (UFF), Integranteda da linha de pesquisa Micropolítica do Trabalho e o Cuidado em Saúde. Líder do Núcleo de Estudos e Pesquisa em Gestão e Trabalho em Saúde NUPGES/CNPq. Vice Líder do Grupo de Pesquisa Rede Substitutiva em Saúde: Racionalização e/ou Desinstitucionalização do Cuidado. Coordenadora Regional Sudeste da Rede Unida, eleita em Assembleia do dia 01/06/2018 para o período de 2018 a 2020. Parecerista de Projetos vinculados a CAPES. Coordenadora do Curso de Especialização em Educação à Distância, Micropolítica do Trabalho e Gestão em Saúde/MS. Coordenadora do Programa de Educação pelo Trabalho (PET/MS) e Pró-Saúde na UFF. Integrante do Núcleo de Pesquisa em Análise Institucional UNICAMP. Docente convidada do Curso de Saúde Pública na Universidade de Barcelona. Membro do Comité Cientifico do Rechercheavec, RESEAU International que inclui membros do Brasil, Mexico, França e Canadá cordenada por Gilles Monceau (Université de Cergy-Pontoise - France) e Marguerite Souliére (Université de Ottawa- Canadá). Filiada à Association Latine pour l'Analyse des Systèmes de Santé (ALASS) com sede em Barcelona, Espanha. Graduada em Enfermagem pela Universidade Federal Fluminense (1992), habilitação em Saúde Pública pela Universidade Federal Fluminense(1993), residência em Saúde pública pela Escola Nacional de Saúde Pública/FIOCRUZ (1995), mestrado em Saúde Coletiva pela Universidade Estadual de Campinas (1999), doutorado em Saúde Coletiva pela Universidade Estadual de Campinas (2004), Pós Doutorado pelo Instituto de Medicina Social (UERJ). Temática: Gestão e Subjetividade; Formação em Saúde; Micropolítica; Politica de Saúde; Enfermagem em Saúde Pública; Produção do Cuidado; Processo de Trabalho em Saúde e Análise Institucional. 
Referências

Referências

CAÇADOR, Beatriz Santana; BRITO, Maria José Menezes; MOREIRA, Danielle de Araújo; REZENDE, Lilian Cristina; VILELA, Gláucia de Sousa. Ser enfermeiro na Estratégia de Saúde da Família: desafios e possibilidades. Revista Mineira de Enfermagem, Belo Horizonte, v. 19, n. 3, p. 612-619, 2015.
https://www.reme.org.br/artigo/detalhes/1027

BORGES, Flávio Adriano; RÉZIO, Larissa de Almeida; L’ABBATE, Solange; FORTUNA, Cirina Magaeli. A entrada no campo e a fabricação de dispositivos em pesquisas Socioclínicas. Psicologia em Estudo, v. 23, p. 1-15, e40373, 2018.
http://www.periodicos.uem.br/ojs/index.php/PsicolEstud/article/view/40373
BRASIL. Ministério da Saúde. Portaria nº 2.436, de 21 de setembro de 2017. Aprova a Política Nacional de Atenção Básica, estabelecendo a revisão de diretrizes para a organização da Atenção Básica, no âmbito do Sistema Único de Saúde (SUS).
http://www.brasilsus.com.br/index.php/legislacoes/gabinete-do-ministro/16247-portaria-n-2-436-de-21-de-setembro-de-2017
FERREIRA, Adicéa de Souza; ABRAHÃO, Ana Lúcia. Gerência do cuidado em enfermagem na Estratégia Saúde da Família: revisão sistemática. Research, Society and Development, v. 9, n. 5, e68953087, 2020.
https://www.researchgate.net/publication/340420924_Gerencia_do_cuidado_em_Enfermagem_na_Estrategia_Saude_da_Familia_revisao_sistematica/fulltext/5e87defea6fdcca789f112e2/Gerencia-do-cuidado-em-Enfermagem-na-Estrategia-Saude-da-Familia-revisao-sistematica.pdf
FORTUNA, Cirina Magali; MONCEAU, Gilles; VALENTIM, Silva; MENNANI, Khadija Lalah El. Uma pesquisa Socioclínica na França: notas sobre a Análise Institucional. Fractal: Revista de Psicologia, v. 26, n. 2, p. 255-266, 2014.
https://www.researchgate.net/publication/273938004_Uma_pesquisa_socioclinica_na_Franca_notas_sobre_a_analise_institucional
FORTUNA, Cirina Magali; SILVA, Simone Santana da; MESQUITA, Luana Pinho de; MATUMOTO, Silvia; OLIVEIRA, Poliana Silva; SANTANA, Fabiana Ribeiro. A Socioclínica Institucional como referencial teórico e metodológico para a pesquisa em enfermagem e saúde. Texto & Contexto Enfermagem, v. 26, n. 4, e2950017, 2017.
http://www.scielo.br/pdf/tce/v26n4/0104-0707-tce-26-04-e2950017.pdf
JESUS, A. F., PEZZATO, L. M., & ABRAHÃO, A. L. (2013). O uso do diário como ferramenta estratégica da análise institucional para abordar o cotidiano do profissional de saúde. O caso do Dom Queixote. In L’Abbate, S., Mourão, L. C., & Pezzato, L. M. (Orgs.), Análise Institucional & Saúde Coletiva (pp. 206-239). São Paulo: Hucitec.
http://www.scielo.br/scielo.php?pid=S010373312011000400008&script=sci_abstract&tlng=pt
LOWEN, Ingrid Margareth Voth; PERES, Ainda Maris; CROZETA, Karla; BERNARDINO, Elizabeth; BECK, Carmem Lúcia Colomé. Competências gerenciais dos enfermeiros na ampliação da Estratégia Saúde da Família. Revista da Escola de Enfermagem da USP, São Paulo, v. 49, n. 6, p. 967-973, 2015.
http://www.scielo.br/scielo.php?pid=S0080-62342015000600964&script=sci_arttext&tlng=pt

MONCEAU, Gilles. A socioclínica institucional para pesquisas em educação e em saúde. In: L’ABBATE, Solange; MOURÃO, Lucia Cardoso; PEZZATO, Luciane Maria (Orgs). Análise Institucional & Saúde Coletiva. São Paulo: Hucitec, 2013. p. 91-103.
https://www.researchgate.net/publication/305808891_A_socioclinica_institutional_para_pesquisa_em_educacao_e_em_saude
MONCEAU, Gilles. L’analyse institutionnelle des pratiques: une socioclinique des tourments institutionnels au Brésil et en France. Paris: L’Harmattan, 2012.

MONCEAU, Gilles. Técnicas Socioclínicas para a análise institucional das práticas sociais. Psicologia em Revista, Belo Horizonte, v. 21, n. 1, p. 197-217, 2015.
http://pepsic.bvsalud.org/pdf/per/v21n1/v21n1a13.pdf
MONCEAU, Gilles. Transformar as práticas para conhecê-las: pesquisa ação e profissionalização docente. Educação e Pesquisa, v. 31, n. 3, p. 467-482, 2005.
http://www.scielo.br/pdf/ep/v31n3/a10v31n3.pdf
SOARES, Cândida Elizabete dos Santos; BIAGOLINI, Rosângela Elaine Minéo; BERTOLOZZI, Maria Rita. Atribuições do enfermeiro na unidade básica de saúde: percepções e expectativas dos auxiliares de enfermagem. Revista da Escola de Enfermagem da USP, São Paulo, v. 47, n. 4, p. 915-921, 2013.
http://www.scielo.br/scielo.php?pid=S008062342013000400915&script=sci_abstract&tlng=pt

##plugins.themes.bootstrap3.article.details##


Como Citar

DE SOUZA FERREIRA, A.; LÚCIA ABRAHÃO , A. COMUNICAÇÃO COMO DISPOSITIVO DE INTERAÇÃO ENTRE ENFERMEIROS: ENCONTROS SOCIOCLÍNICA INSTITUCIONAL NA ESTRATÉGIA SAÚDE DA FAMÍLIA. Revista Brasileira de Pós-Graduação, v. 16, n. 35, p. 1-12, 24 jun. 2020.

Seção

Artigo

Publicado:

Jun 24, 2020
Palavras-chave:

Análise Institucional; Cuidados de Enfermagem; Estratégia Saúde da Família; Gestão em Saúde.

Creative Commons License
This work is licensed under a Creative Commons Attribution-NonCommercial 4.0 International License.

Autores que publicam nesta revista concordam com os seguintes termos:

  • Detêm os direitos autorais sobre a obra e concedem à revista o direito de primeira publicação, com o trabalho simultaneamente licenciado sob a Licença Creative Commons Attribution  que permite o compartilhamento do trabalho com reconhecimento da autoria e publicação inicial nesta revista.
  • Possuem autorização para assumir contratos adicionais separadamente, para distribuição não exclusiva da versão do trabalho publicada nesta revista, com reconhecimento de autoria e de publicação inicial nesta revista.
  • Têm permissão e são estimulados a publicar e distribuir seu trabalho on-line (ex.: em repositórios institucionais ou na sua página pessoal), desde que citada sua publicação inicial nesta revista, uma vez que isso pode gerar alterações.

Além disso, os autores declaram que:

  • Todas as afirmações contidas no manuscrito são fatos, são verdadeiras ou baseadas em pesquisa empírica ou científica.
  • O uso de qualquer marca registrada ou direito autoral dentro do manuscrito foi creditado a seu proprietário ou a permissão para usar o nome foi concedida.