UM OLHAR SOBRE A FORMAÇÃO PARA A DOCÊNCIA NO ENSINO SUPERIOR AO LONGO DA PÓS-GRADUAÇÃO EM QUÍMICA O Estágio de Docência e a Tutoria

##plugins.themes.bootstrap3.article.sidebar##

Resumo

A pós-graduação tem como foco a produção de conhecimento e por consequência a formação de pesquisadores, no entanto, é a responsável legal pela formação de professores para a docência no Ensino Superior. Atualmente algumas atividades formativas da pós-graduação são voltadas para a docência, como o estágio de docência obrigatório para bolsistas, e a tutoria. Esta pesquisa teve como objetivo investigar as contribuições dessas atividades na formação de pós-graduandos. Para tal, foram analisados, a partir da análise de conteúdo, 39 questionários de pós-graduandos cursando o estágio. Os resultados permitem inferir que as experiências vivenciadas ao longo do estágio são as principais contribuições. Entretanto, ainda é tímida a reflexão sobre a prática docente, de modo que acreditamos que professor e pós-graduando devam estabelecer uma relação formativa do início ao fim da disciplina, superando a concepção de um estágio de docência limitado a um viés prático. Concluímos que o estágio de docência e a tutoria tem relevante contribuição na formação dos estudantes, com potencial para desenvolver a reflexão crítica e formação continuada de pós-graduandos e professores do Ensino Superior. Acreditamos também que este estudo possa contribuir para o fomento de políticas institucionais voltadas para a formação docente na pós-graduação.

##plugins.themes.bootstrap3.article.main##

Autores
Biografia
Victor Ferraz, Universidade Federal de Juiz de Fora
Professor de Química na Paineira Escola Waldorf Doutorando do Programa de Pós-Graduação em Química Universidade Federal de Juiz de Fora vicferraz@gmail.com
Driele Mota, Universidade Federal de Juiz de Fora
Licencianda em Química na Universidade Federal de Juiz de Fora
José Guilherme da Silva Lopes, Universidade Federal de Juiz de Fora
Doutor em Química pela Universidade de São Paulo Professor associado no Departamento de Química da Universidade Federal de Juiz de Fora
Referências

ALVES, L. R. et al. Reflexões sobre a formação docente na pós-graduação. Revista Escola Anna Nery. Vol. 23, n. 3, 2019.

ANDRADE, A. O estágio supervisionado e a práxis docente. In SILVA, M. L. S. F. (Org.), Estágio curricular: contribuições para o redimensionamento de sua Prática. (2a ed). Natal, RN: Editora da UFRN, 2005.

ARROIO, A.; RODRIGUES FILHO, U. P.; SILVA, A. B. F. A formação do pós-graduando em química para a docência em nível superior. Química Nova, v.29, n.6, p. 1387-1392, 2006.

BARDIN, L. Análise de conteúdo. São Paulo: Edições 70, 2011. 280p. ISBN-13: 9788562938047.

BRASIL. Lei de Diretrizes e Bases da Educação Nacional, Lei n°9.394, 1996.

CAMPELO, R. P. M. et al. Uma nova abordagem do Estágio Docência para Ciências Biológicas: sobre a inserção do estágio docência da pós-graduação na estrutura curricular do curso de graduação em Ciências Biológicas da UFOP. Revista Brasileira de Pós-Graduação, Brasília, v. 7, n. 14, p. 507-517, dez. 2010.

CARVALHO, A. M. P.; GIL-PÉREZ, D. Formação de professores de ciências: tendências e inovações. 10ª ed. São Paulo: Cortez, 2011. 128p. ISBN: 9788524917257.

COORDENAÇÃO DE APERFEIÇOAMENTO DE PESSOAL DE NÍVEL SUPERIOR – CAPES. História e Missão, 2019. Disponível em: http://www.capes.gov.br/historia-e-missao Acesso em: 01 out. 2019.

COORDENAÇÃO DE APERFEIÇOAMENTO DE PESSOAL DE NÍVEL SUPERIOR – CAPES. Portaria nº 76, de 14 de abril de 2010. Diário Oficial da União, Brasília, DF, 19 abr. 2010. Seção 1, p. 31-32. Disponível em: Acesso em: 06 nov. 2019.
COORDENAÇÃO DE APERFEIÇOAMENTO DE PESSOAL DE NÍVEL SUPERIOR – CAPES. Circular nº. 028/99/PR/CAPES. Brasília, 1999.

FERRAZ, V. G. L. A contribuição da Formação Inicial na construção dos saberes docentes dos licenciandos em Química da UFJF. 2015. Dissertação (Mestrado) – Programa de Pós-Graduação em Química. Universidade Federal de Juiz de Fora. Juiz de Fora. 2015.

FREIRE, P. Pedagogia da autonomia: saberes necessários à prática educativa. São Paulo: Paz e Terra, 1996.

LIMA, D. S.; COSTA, L. A. C. A formação docente em programas de pós-graduação em Engenharia de uma universidade federal brasileira: diagnóstico e perspectivas. Revista Brasileira de Pós-Graduação, Brasília, v. 14, 2017.

MAGALHÃES, R. DE C. B. P.; RAFFIN, F. N.; GUTIERRE, L. DOS S.; DE AZEVEDO, A. F. Formação docente na pós-graduação stricto sensu: experiências na Universidade Federal do Rio Grande do Norte. Revista Brasileira de Pós-Graduação, v. 13, n. 31, 17 fev. 2017.

MALDANER, O. A. A pesquisa como perspectiva de formação continuada do professor de química. Química Nova, v. 22, n. 2, 1999.

MELO, G. F.; CAMPOS, V. T. B. Pedagogia universitária: por uma política institucional de desenvolvimento docente. Cadernos de Pesquisa, São Paulo, v. 49, n. 173, p. 44-63, 2019.

OLIVEIRA, E. S. G.; CUNHA, V. L. O estágio supervisionado na formação continuada docente a distância: desafios a vencer e construção de novas subjetividades. RED - Revista de Educación a Distancia, n. 14, 2006.

PIMENTA, S. G., LIMA, M. S. L. Estágio e docência: diferentes concepções. Revista Poíesis, v. 3, nº 3 e 4, 2006.

PIMENTA, S. G.; ANASTASIOU, L. G. C. Docência no ensino superior. 5ª edição. São Paulo: Cortez, 2014. 280p. ISBN: 8524908572.

PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO EM QUÍMICA (PPGQ). Resolução nº 013/2018 - Regulamenta as Disciplinas de Estágio Docência I e II no Programa de Pós-Graduação em Química da Universidade Federal de Juiz de Fora e dá outras providências. 2018a. Disponível em: http://www.ufjf.br/pgquimica/files/2008/07/Resolu%C3%A7%C3%A3o-2018-013-PPGQ-Regulamento-para-Disciplinas-Estagio-Doc%C3%AAncia-I-e-II.pdf Acesso em: 06 nov. 2019.

PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO EM QUÍMICA (PPGQ). Resolução nº 014/2018 - Regulamenta a Atividade Prática Docente (Tutoria) no Programa de Pós-Graduação em Química da Universidade Federal de Juiz de Fora e dá outras providências. 2018b. Disponível em: http://www.ufjf.br/pgquimica/files/2008/07/Resolu%C3%A7%C3%A3o-2018-014-PPGQ-Regulamento-para-Atividade-Pr%C3%A1tica-Docente-Tutoria.pdf Acesso em: 06 nov. 2019.

SILVA JÚNIOR, L. A.; LOPES, J. G. S. Estudo e caracterização do pensamento docente espontâneo de ingressantes de um curso de licenciatura em Química. Revista Ensaio, Belo Horizonte, v.16, n. 01, p. 131-148, 2014.

TARDIF, M. Saberes docentes e formação profissional. 16ª ed. Petrópolis: Vozes, 2014. 328p. ISBN-13: 978-8532626684.

VERHINE, R. E.; DANTAS, L. M. V. Estágio de docência: conciliando o desenvolvimento da tese com a prática em sala de aula. Revista Brasileira de Pós-Graduação, Brasília, v. 4, n. 8, p. 171-191, dez. 2007.

VIEIRA, R. A. Formação pós-graduada e docência no ensino superior: mapeamento das discussões sobre o estágio de docência na RBPG/CAPES. Revista Contrapontos, vol. 13 - n. 2 - p. 94-101, 2013.

VIEIRA, R. A.; MACIEL, L. S. B. Estágio de docência prescrito pela Capes: tensões e desafios. Quaestio, Sorocaba, SP, v. 12, p. 47-64, 2010.
VOSGERAU, D. S. R.; ORLANDO, E. A.; MEYER, P. Produtivismo acadêmico e suas repercussões no desenvolvimento profissional de professores universitários. Educação & Sociedade, v. 38, n. 138, p. 231-247, 2017.

ZANON, D. A. V.; OLIVEIRA, J. R. S.; QUEIROZ, S. L. O “saber” e o “saber fazer” necessários à atividade docente no Ensino Superior: visões de alunos de pós-graduação em Química. Ensaio, Belo Horizonte, vol. 11, n. 1, p. 1-20, 2009.

##plugins.themes.bootstrap3.article.details##


Como Citar

GOMES LIMA FERRAZ, V.; CARLA SILVA MOTA, D.; DA SILVA LOPES, J. G. UM OLHAR SOBRE A FORMAÇÃO PARA A DOCÊNCIA NO ENSINO SUPERIOR AO LONGO DA PÓS-GRADUAÇÃO EM QUÍMICA. Revista Brasileira de Pós-Graduação, v. 16, n. 35, p. 1-23, 24 jun. 2020.

Seção

Estudos

Publicado:

Jun 24, 2020
Palavras-chave:

Reflexão crítica, Formação de professores, Formação continuada

Creative Commons License
This work is licensed under a Creative Commons Attribution-NonCommercial 4.0 International License.

Autores que publicam nesta revista concordam com os seguintes termos:

  • Detêm os direitos autorais sobre a obra e concedem à revista o direito de primeira publicação, com o trabalho simultaneamente licenciado sob a Licença Creative Commons Attribution  que permite o compartilhamento do trabalho com reconhecimento da autoria e publicação inicial nesta revista.
  • Possuem autorização para assumir contratos adicionais separadamente, para distribuição não exclusiva da versão do trabalho publicada nesta revista, com reconhecimento de autoria e de publicação inicial nesta revista.
  • Têm permissão e são estimulados a publicar e distribuir seu trabalho on-line (ex.: em repositórios institucionais ou na sua página pessoal), desde que citada sua publicação inicial nesta revista, uma vez que isso pode gerar alterações.

Além disso, os autores declaram que:

  • Todas as afirmações contidas no manuscrito são fatos, são verdadeiras ou baseadas em pesquisa empírica ou científica.
  • O uso de qualquer marca registrada ou direito autoral dentro do manuscrito foi creditado a seu proprietário ou a permissão para usar o nome foi concedida.