Iniciação científica no ensino médio: um modelo de aproximação da escola com a universidade por meio do método científico

Thiago Gomes Heck, Alexandre Maslinkiewicz, Míriam Gil Sant'Helena, Leonardo Riva, Denise Lagranha, Sueli Moreno Senna, Vera Lucia Cislaghi Dallacorte, Marcelo Engelke Grangeiro (in memoriam), Rui Curi, Paulo Ivo Homem de Bittencourt

Resumo


Este artigo descreve o programa educacional  “Iniciação Científica no Ensino Médio: um Modelo de Aproximação da Escola com a Universidade por meio do Método Científico”, que é desenvolvido em Porto Alegre desde 1999. Trata-se de um projeto desenvolvido em colaboração com a Pró-Reitoria de Pesquisa da Universidade Federal do Rio Grande do Sul (PROPESQ/UFRGS), Pró-Reitoria de Extensão da Universidade Federal do Rio Grande do Sul (PROREXT/UFRGS) e Secretaria de Educação do Rio Grande do Sul. Nesse programa, o método científico foi introduzido no currículo do ensino médio, de sorte a garantir um melhor rendimento dos alunos na universidade no futuro. Os estudantes, acompanhados de professores da mesma escola, vão a laboratórios da universidade (UFRGS) para aprender e desenvolver projetos de pesquisa científica em trabalhos originais aos sábados. Os estudos continuam na escola durante a semana. Fisiologia Médica foi o ponto de partida para a investigação científica. O programa é baseado no fato de que o uso do método científico para resolver problemas contextuais da vida quotidiana permite o desenvolvimento de procedimentos neurais universais para a resolução de inúmeros outros tipos de problemas. Isso se deve, em parte, ao impacto emocional que essas rotinas neurais impõem ao cérebro humano. Assim, e baseados nos resultados que vimos obtendo ao longo desses anos, acreditamos que o programa consiga desenvolver uma circuitaria cerebral autoestimulatória ligada ao sistema de recompensa do cérebro, que transforma o aprendizado em prazer, promovendo uma educação de alta qualidade.

Palavras-chave


Método Científico. Ensino Médio. Ensino de PósGraduação.

Texto completo:

PDF


DOI: http://dx.doi.org/10.21713/2358-2332.2012.v8.245