A institucionalização da pós-graduação no Brasil: o primeiro decênio da Capes (1951-1961)

Fernando César Ferreira Gouvêa

Resumo


Este artigo tem como objetivo analisar o primeiro decênio de existência da Campanha Nacional de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior (atual Capes – Coordenação de Aperfeiçoamentode Pessoal de Nível Superior), que abarca o período de 1951 a 1960, situando a instituição no âmbito do aparelho estatal federal em um contexto histórico marcado pelo modelo nacional-desenvolvimentista. O caminho para o alcance desse objetivo tem como elementos essenciais a utilização de relatórios, correspondências, mensagens presidenciais e documentos legais articulados sob o signo da utilizaçãode estratégias e táticas por indivíduos-coletivos que edificaram uma rede institucional que levou a Capes a um papel central na elaboração de políticas públicas educacionais no seio do Ministério da Educação. Tal centralidade teve como resultados a tentativa de construção de um sistema nacional de pós-graduação que se constitui em um legado a ser examinado no tempo presente.

Palavras-chave


História da Educação Brasileira. Ministério da Educação. Inep. Capes. 1951-1961.

Texto completo:

PDF


DOI: http://dx.doi.org/10.21713/2358-2332.2012.v9.312