Internacionalização da pós-graduação em Psicologia: estudo comparativo dos cursos de doutorado no Brasil e na Espanha

Ana Ludmila Costa, Fellipe Coelho-Lima, Joyce Pereira da Costa, Pablo de Sousa Seixas, Oswaldo Hajime Yamamoto

Resumo


Objetivou-se, neste artigo, analisar características relativas ao debate sobre internacionalização dos programas de excelência de Psicologia no Brasil e Espanha. Trata-se de estudo documental comparativo entre os 6 cursos de doutorado brasileiros com conceitos 6 e 7 na avaliação da Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior (CAPES), em 2010-2012, e os cinco espanhóis que receberam a Mención hacia la Excelencia, em 2010-2011. Três tipos de dados foram coletados: caracterização geral, formação dos alunos e produção científica (período 2007-2012). Como pontos distintos, tem-se a maior produtividade dos pesquisadores brasileiros e a predominância, no Brasil, de áreas de Psicologia alinhadas ao mainstream da pesquisa internacional. Em relação às aproximações, chamam a atenção o caráter tutorial do processo formativo e o peso de iniciativas pessoais na conquista do padrão de excelência internacional.


Palavras-chave


Pós-graduação. Internacionalização. Psicologia no Brasil. Psicologia na Espanha.

Texto completo:

PDF


DOI: http://dx.doi.org/10.21713/2358-2332.2014.v11.548